Repensar

Início » Dicas e sugestões » DICAS PARA PROFESSORES COM CRIANÇAS IRREQUIETAS, DISTRAIDAS E IMPULSIVAS:

DICAS PARA PROFESSORES COM CRIANÇAS IRREQUIETAS, DISTRAIDAS E IMPULSIVAS:

Ter um aluno irrequeito, distraido ou impulsivo na sala de aula pode não ser tarefa fácil. Nem todos são hiperactivos ou têm défice de atenção, vários factores podem causar estes comportamentos como imaturidade, ansiedade, desmotivação, sinais de depressão ou até à sua própria personalidade. Organizámos uma série de ideias para o ajudar a lidar com estas crianças na sala de aula.

TALVEZ PRECISARÁ DE ALTERAR/MODIFICAR OU MELHORAR ALGUMAS ESTRATÉGIAS:

  1.  O professor deve ler, informar-se e estudar sobre estas problemáticas. Quanto mais informado estiver, melhor pode compreender os comportamentos e pensar em estratégias para lidar com os mesmos.
  2. Ambientes com muitos distratores / estímulos externos devem ser evitados. A sala de aula deve contar apenas elementos necessários. Músicas ou barulhos externos com frequência também devem ser evitados. Procure um local da sala onde o campo de visão da criança fique mais reduzido (que não consiga ver os colegas que estão a brincar nas construções, por exemplo) e coloque-a de forma a que possa ver sempre o adulto.
  3. Uma boa forma de envolver todos os alunos e principalmente os mais irrequietos e distraidos é solicitar que o aluno a repita a instrução que você acabou de dar para a realização de uma determinada tarefa.
  4. Atividades que exijam mais atenção devem ser feitas preferencialmente no início da aula.
  5. Lembre-se da parte emocional da aprendizagem: estas crianças necessitam de um apoio especial para encontrar prazer na sala de aula. É essencial prestar atenção às emoções envolvidas no processo de aprendizagem.
  6. Estabeleça regras. Tenha-as por escrito e fáceis de serem lidas.
  7. Olhe sempre nos olhos. O Adulto pode “trazer de volta” uma criança desatenta através dos olhos nos olhos. Faça isto sempre. Um olhar pode tirar uma criança do seu devaneio ou dar-lhe liberdade para fazer uma pergunta ou apenas dar-lhe segurança silenciosamente.
  8. Na sala de aula coloque a criança sentada próxima à sua. Isto ajuda a evitar a distracção que prejudica tanto estas crianças.
  9. Estabeleça limites, fronteiras. Isto deve ser devagar e com calma, não de modo punitivo. Faça isto consistentemente, previamente, imediatamente e honestamente. Não seja complicado, falando sem parar. Estas discussões longas fazem com que a criança “desligue” e não perceba a ideia central. Seja firme e sucinto.
  10. Propicie uma espécie de válvula de escape como, por exemplo, sair da sala de aula por alguns instantes. Se isto puder ser feito dentro das regras da escola, poderá permitir à criança deixar a sala de aula ao invés de se desligar dela (ex: entregar papeis à secretaria, dar recados, etc.). Nunca impeça a criança de brincar e correr durante o intervalo, senão ficará com mais energia acumulada
  11. Procure a qualidade ao invés de quantidade dos trabalhos de casa. Crianças hiperatividade frequentemente necessitam de uma carga reduzida.
  12. Permita-se brincar, divertir. Faça do seu dia uma novidade. Estas crianças adoram novidades e respondem a estas com entusiasmo. Isto ajuda a manter a atenção – tanto a delas quanto a sua. Estas crianças são cheias de vida e algumas verdadeiras empreendedoras.
  13. Simplifique as instruções, as opções e a programação. O palavreado mais simples será mais facilmente compreendido. E use uma linguagem colorida. Assim como as cores, a linguagem colorida prende atenção.
  14. Um sistema de pontos é uma possibilidade de mudar parte do comportamento (sistema de recompensa para as crianças menores). Estas crianças respondem muito bem às recompensas e incentivos.
  15. Fique atento à integração. Estas crianças precisam se sentir integradas. Assim se sentirão motivadas e ficarão mais sintonizadas.
  16. Sinalize alunos através da audição: toque de campainha ou sino, bata palmas, toque um acorde de piano / violão, use um sinal verbal.
  17. Reúna com os pais frequentemente. Evite o velho sistema de contactar com eles apenas para resolver crises ou problemas.
  18. Incentive a leitura em voz alta em casa. Ler em voz alta na sala de aula tanto quanto for possível. Faça a criança recontar histórias. Ajude a criança a falar por tópicos.
  19. Promova o Exercício físico. Um dos melhores tratamentos para hiperactividade, é o exercício físico.
  20. Reduza tarefas com papel / lápis e permita outros meios de produção.
  21. Forneça actividades que o aluno possa ter sucesso (academicamente e socialmente).
  22. Descubra os interesses dos alunos e proporcione actividades que correspondam a esses interesses.
  23. Chame atenção para as potencialidades dos alunos e demonstre os talentos destes.
  24. responsabilidades ao aluno de ser um assistente do professor, monitor, modelo, líder do grupo, etc.
  25. Aumente as oportunidades de encontrar com o aluno individualmente e estabelecer um relacionamento de apoio.  – Fale em privado com a criança acerca dos seus comportamentos inapropriados, evitando uma linguagem de confronto e de crítica.
  26. Procure estabelecer alternativas para comportamentos inadequados
  27. Evitar castigar excessivamente: castigos e repreensões frequentes têm um impacto negativo sobre a auto-estima
  28. Mantenha a área de trabalho da criança livre de materiais desnecessários.
  29. Atribua tarefas de curta duração (isto é, de acordo com a capacidade de atenção da criança) e apresentados um de cada vez: dê oportunidades à criança para se movimentar: ir buscar materiais ou fazer recados sempre que cumprir a parte da tarefa combinada.
  30. Trabalhe com mapa de actividades para que a criança se organize.
  31.  Empregue estratégias multi-sensoriais quando falar para a criança: sinais sonoros – campainha ou sino – e visuais – uma lanterna de bolso ou um apontador laser: desligar a luz e captar a atenção das crianças iluminando os objectos relevantes. Incorpore demonstrações e actividades de movimento, sempre que possível.– Combine sinais que a criança possa usar para avisar de que precisa de ajuda.
  32. Verifique com frequência se a criança está a cumprir a tarefa. Faça comentários positivos e elogie atitudes adequadas.
  33. Deverá existir uma rotina consistente e previsível na sala de aula.
  34. Mantenha formas diferentes de avaliação. Frequentemente estas crianças surpreendem pela positiva quando são sujeitas a avaliações mais orais.
  35.  Trabalhar com grupos de alunos em projectos, actividades, etc…
  36. Variar o formato da apresentação e dos materiais da tarefa também parece ajudar a manter o interesse e a motivação. Quando são dadas tarefas passivas ou de baixo interesse, elas deveriam ser intercaladas a tarefas ativas e de alto interesse para otimizar o desempenho.
  37.  Intercalar leitura de classe ou períodos de estudo com breves momentos de exercício físico pode também ser de utilidade para diminuir o cansaço e a monotonia de longos períodos de trabalho acadêmico. Exemplos incluem fazer as crianças pular linhas entre as carteiras, fazer uma rápida saída da sala de aula, para caminhar por dois minutos, ou formar uma fila e caminhar em volta da sala de modo parecido a dançar a conga.
  38. A importância das sequências: As tarefas complexas ou longas devem ser divididas em pequenas tarefas.
  39. Quando o aluno tem dificuldade em terminar as tarefas coloque uma cartolina onde atribui pontos ou estrelas por cada tarefa terminada e reforçar o comportamento.
  40. Ponha por escrito um ou dois objectivos e coloque-os ao pé do aluno.
  41. Aplique as consequências logo após o comportamento em causa.
  42. Dê um plano da aula ao aluno, de forma a ele ir riscando as tarefas que completa.
  43. Combine um sinal com a criança para a ajudar a manter a atenção
  44. Espere 5 segundos antes de responder às questões.
  45. Habitue os alunos a repetirem a questão antes de responderem
  46. Utilize um relógio para os alunos aprenderem a controlar o tempo para cada tarefa. Avise alguns minutos antes quanto tempo têm para a terminar.
  47. Ensine métodos de estudo: sublinhas as ideias mais importantes, esquematizar, utilizar diferentes cores para destacar o texto e de seguida elaborar resumos.
  48. Ensine e treine com os alunos competências sociais.
  49. Utilize estratégias de aprendizagem cooperativa entre os alunos
  50. Seja consistente nas instruções e punições que dá.
  51. Repita as instruções de forma calma e positiva
  52. Faça com que os alunos sintam-se à vontade para pedir ajuda
  53. Utilize objectos para os alunos manipularem
  54. Evite situações de aumento de ansiedade/medo (ameaças de perder o ano, queixas aos pais, castigos, ser alvo de chacota, humilhação ou criticas constantes). Quanto melhor a criança sentir-se emocionalmente mais facilidade terá em controlar-se.
  55. Torne as suas aulas atrativas, estimulantes, com oportunidades para as crianças dialogarem, colocarem dúvidas e principalmente onde a aprendizagem seja sentida como algo prazeroso.

 

TALVEZ PRECISARÁ MODIFICAR:  

 

  • Materiais;
  • Métodos;
  • Ritmo;
  • Ambiente;
  • Tarefas;
  • Exigências de tarefas;
  • Notas;
  • Testes / Avaliação;
  • Feedback;
  • Reforço;
  • Entrada de ideias / Rendimento;
  • Nível de suporte;
  • Grau de participação;
  • Tempo distribuído;
  • Tamanho / Quantidade.  

 

O QUE NÃO FAZER: 

  • Nunca sente a criança na última fila ou ao pé de outros colegas irrequietos
  • Nunca humilhe, ridicularize ou menospreze o trabalho da criança. Faça críticas construtivas e não as compare com os colegas.
  • Nunca utilize castigos como não ir ao intervalo ou à aula de educação física: as crianças precisam de movimento e as hiperactivas ainda mais.
  • Nunca dê trabalhos extra (como cópias, tabuadas, etc.) para que ela se “habitue” a maiores tempos de concentração. Para isso utilize puzzles, passatempos, etc.
  • Nunca castigue exageradamente. Estas crianças reagem melhor aos elogios e ao reforço positivo (repreensões e criticas são o dia-a-dia delas! Surpreende-as!)

 

Anúncios

Comentários

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

Repensar

Sou psicóloga e este é um espaço para pensar e repensar o meu dia-a-dia, partilhar ideias, sugestões, informações e pensamentos

Pais criativos filhos felizes

Sou psicóloga e este é um espaço para pensar e repensar o meu dia-a-dia, partilhar ideias, sugestões, informações e pensamentos

Sou psicóloga e este é um espaço para pensar e repensar o meu dia-a-dia, partilhar ideias, sugestões, informações e pensamentos

Sou psicóloga e este é um espaço para pensar e repensar o meu dia-a-dia, partilhar ideias, sugestões, informações e pensamentos

www.manualdacrianca.net/

Just another WordPress.com site

Mum's the boss

Sou psicóloga e este é um espaço para pensar e repensar o meu dia-a-dia, partilhar ideias, sugestões, informações e pensamentos

Short Story of Life and Style

Love, life, family and everyday challenges on how to be happy

%d bloggers like this: